Notícias

01/02/2018

Cohapar estuda construção de novas casas populares e regularização de imóveis em Jaguapitã

Análise de viabilidade técnica da implantação de novos projetos habitacionais foi iniciada após solicitação feita pelo prefeito, Ciro Rodrigues, em visita à sede da empresa.

O presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, e o prefeito de Jaguapitã, Ciro Rodrigues, estiveram reunidos nesta quarta-feira (31) para conversar sobre novas parcerias de trabalho entre os órgãos no setor habitacional. Durante o encontro, que aconteceu na sede da companhia, em Curitiba, os dois trataram da contratação de novos projetos para a construção de casas populares e titulação de imóveis em condições irregulares.

Segundo Rodrigues, a prefeitura dispõe de áreas disponíveis para a construção de novos empreendimentos habitacionais. “Nos próximos dias, técnicos da companhia iniciarão os estudos de viabilidade técnica para elaboração do projeto construtivo”, revela o prefeito.  

Uma das principais demandas da cidade é para o atendimento de trabalhadores da indústria avícola instalada no município. De acordo com Lupion, o governo estadual tem procurado fortalecer as parcerias com a iniciativa privada no âmbito habitacional.

“A construção de novos conjuntos estimula a instalação de indústrias nas cidades ao permitir a mudança e permanência dos trabalhadores nas localidades, o que também estimula o crescimento econômico dos municípios”, afirma o presidente da companhia.

REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA – Na reunião, ficou acordado também que uma equipe da Cohapar irá nesta quinta-feira (1.º) à Jaguapitã para tratar dos procedimentos necessários para adesão do município ao programa Morar Legal Paraná.

A iniciativa, coordenada pela companhia, consiste na contratação de empresas especializadas para prestação do serviço pelo critério de menor preço. O programa é financiado com recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, o que ajuda a reduzir os custos a serem pagos pelas famílias, bem menores do que os cobrados normalmente pelo mercado.

Para o presidente da Cohapar, o projeto ajudará a melhorar a infraestrutura municipal. “A partir da escrituração dos imóveis, as famílias podem obter financiamentos para ampliar ou reformar suas moradias”, comenta. “A prefeitura também terá um incremento de arrecadação de IPTU, que poderá ser reinvestido na melhoria de ruas, calçamento, iluminação e outros serviços básicos aos moradores”, conclui Lupion.

O superintendente de Relações Institucionais da Cohapar, João Naime Neto, e a assessora do deputado estadual Tiago Amaral, Laura Gomes, acompanharam a reunião.

Recomendar esta notícia via e-mail: