Notícias

19/10/2018

177 famílias residentes em condições de risco preparam-se para mudança em Imbituva

Intervenção envolve a construção de 157 novas casas populares e reforma de outras 20 moradias, obras de urbanização e regularização fundiária. Serão investidos R$ 18,2 milhões em recursos do programa Família Paranaense, em uma parceria entre Governo do Estado e prefeitura.

Representantes da Cohapar e prefeitura realizaram nesta quinta-feira (16) uma reunião com 177 famílias de Imbituva. Elas residem na Vila Zezo, em casas que estão em condições precárias na cidade, e serão realocadas temporariamente para outros imóveis até que suas moradias sejam reconstruídas ou reformadas.

O projeto, orçado em mais de R$ 18,2 milhões, faz parte do programa Família Paranaense e visa melhorar a qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social. O processo está em fase final de licitação para a contratação da empresa responsável pelas obras pelo critério de menor preço, com supervisão da Cohapar e da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social (SEDS).

“Após a conclusão do processo licitatório, toda a documentação será enviada para análise do Banco Interamericano de Desenvolvimento, que financia o projeto”, explica a arquiteta da Cohapar e responsável pelo projeto na companhia, Fernanda Lagana. “Após a aprovação e assinatura da ordem de serviço, as obras serão executadas em nove meses”, completa.

As famílias precisarão ser realocadas de imediato, pois as obras acontecerão na mesma região onde elas residem. Durante o período em que estiverem fora, elas receberão um aluguel social da SEDS, no valor de R$ 480 mensais por família, para bancarem os custos temporários em outro imóvel.

Além da construção de 157 casas e reforma de outras 20, o local passará por ação completa de regularização fundiária, com demarcação dos lotes individualizados e entrega de títulos de propriedade aos moradores. Também serão feitas obras de infraestrutura complementar para urbanização completa da região.

PARA MORADORES, OBRAS TRARÃO SEGURANÇA E CONFORTO

O auxiliar de produção Josmar da Cruz, de 31 anos, conta que já passou por alguns sustos na casa de madeira onde mora com os três filhos. “Nos fundos da casa já teve até desmoronamento de terra”, revela. “Daqui pra frente não vai mais ter risco, além de ficar melhor pra sair e voltar”, relata aliviado com a expectativa de mudança para uma casa nova em poucos meses.

Outra família beneficiada é a de Suellen Alves, de 28 anos. A casa onde ela vive com o marido e outros cinco familiares passará por uma reforma completa. “Faz sete anos que nós moramos aqui, mas como só o meu marido trabalha, não sobra dinheiro pra terminarmos a obra”, comenta. “Fora as estradas, que hoje tão uma buraqueira só e vão ficar bem melhor”, comemora Suellen.

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem