Notícias

05/06/2019

Caixa anuncia redução nos juros do financiamento habitacional e renegociação de dívidas

Mudanças entram em vigor na próxima segunda-feira (10). Para os empréstimos por meio do SFH, para imóveis de até R$ 1,5 milhão, queda nos juros será de 0,25 ponto percentual.

 A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira (5) a redução na taxas de juros do financiamento para compra de imóveis. O banco também anunciou novas possibilidades para renegociação de empréstimos em atraso. As mudanças entram em vigor na próxima segunda-feira (10).

"Estamos igualando o funding da classe média ou de mais poder aquisitivo. Temos a mesma taxa a partir da mais baixa classe de renda. Isso é vigente a partir do dia 10 de junho", explicou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

"Nós estamos eliminando as distorções. Como o ministro Paulo Guedes já determinou nós vamos eliminar as distorções que nós podemos. Uma distorção que foi eliminada foi o tratamento diferenciado entre categorias díspares de renda", acrescentou.

Renegociação de dívidas

O banco também anunciou novas possibilidades de renegociação de financiamento imobiliário em atraso, sem aumento do prazo do contrato. De acordo com a Caixa, do total de 5,2 milhões de contratos em vigor, 589 mil (11%) têm algum tipo de atraso e somam R$ 10,1 bilhões. Esses contratos impactam 2,3 milhões de pessoas, sendo grande parte deles por meio do programa Minha Casa Minha Vida. 

São 4 situações de renegociação:

  • Empréstimos com atrasos recorrentes pagamento de 1 prestação e incorporando as demais. 
  • Pagamento da prestação mais antiga atualizada, incorporar ao saldo devedor as demais parcelas pendentes. 
  • Atrasos superiores a 180 dias poderão ter dispensa de multa e juros moratórios pagando 1 parcela de entrada. 
  • Pessoas na iminência de ter o imóvel retomado poderão pagar uma prestação de entrada, renegociar as dívidas em atraso incorporando no saldo devedor e manter seu contrato adimplente. 

De acordo com o presidente Pedro Guimarães, as renegociações podem gerar de R$ 500 milhões a R$ 1 bilhão para a Caixa ainda neste ano.

Notícia completa no site do G1

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem