Notícias

29/06/2019

Sonho da casa própria vira realidade para 100 famílias de Guarapuava

Projeto habitacional recebeu R$ 7,5 milhões em um trabalho integrado entre o Governo do Estado, Governo Federal e prefeitura. Famílias pagarão prestações de no máximo R$ 270 ao mês durante 10 anos de financiamento.

Cem famílias do distrito de Palmeirinha, em Guarapuava, receberam neste sábado (29) as chaves da casa própria. Elas são as novas moradoras do Residencial Moscou, empreendimento construído em um trabalho conjunto do Governo do Estado com o Governo Federal e a prefeitura, com investimentos que chegam a R$ 7,5 milhões dentro do programa Minha Casa Minha Vida. 

Os recursos foram financiados pela Caixa Econômica Federal por meio do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), utilizados para subsidiar parcialmente os custos dos imóveis às famílias beneficiadas. Com isso, cada uma delas, que possuem renda mensal de até R$ 1.800, precisará pagar prestações que vão de R$ 80 a R$ 270 ao mês durante 10 anos.

As moradias possuem 46 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço externa, além de sistema de aquecimento solar da água para economia de energia. Graças à participação da Copel e Sanepar no projeto, as redes de água e esgoto e os padrões de energia elétrica foram instalados sem custo aos proprietários. 

Para o presidente da Cohapar, Jorge Lange, a forma conjunta de atuação dos órgãos públicos é fundamental para que projetos como este continuem acontecendo em todo o Paraná. "A orientação da gestão estadual é de que o Governo do Paraná precisa estar próximo dos municípios e é através da consolidação desta união de forças com o Governo Federal e as prefeituras que nós estamos conseguindo diminuir o déficit habitacional no estado", afirma. 

GERAÇÃO DE EMPREGOS - As obras foram executadas em 18 meses pela construtora Piacentini. Em seu discurso, o prefeito de Guarapuava, Cesar Silvestri Filho, destacou que o trabalho também permitiu a geração de empregos e renda na localidade. "A maior parte da mão de obra foi formada por pessoas que residem no distrito, inclusive com um grupo de mulheres que teve a oportunidade de aprender o ofício trabalhando na construção destas casas, por isso a empresa merece o nosso reconhecimento", declara o prefeito. 

VIDA NOVA - Após 12 anos de casado sempre pagando aluguel ou dependendo da ajuda de familiares, o pedreiro Renilson Rocha, de 40 anos, demonstra a felicidade com a perspectiva de um futuro melhor para ele, a esposa e o filho pequeno. "Não tem explicação o que eu to sentindo nesse momento, é a primeira vez na vida que nós vamos pra uma casa nova, em um lugar bem melhor do que onde a gente morava", comemora. 

Outro que está feliz com a mudança é Claudio Antunes, 40. A renda que ele obtém como trabalhador rural é o suficiente para viver com a esposa e as duas filhas, mas nunca foi o suficiente para que eles adquirissem uma casa própria. "A gente pagou aluguel durante muito tempo e não é fácil, tanto que nos últimos meses nós estávamos em uma casa de um amigo por causa do alto custo", relata Claudio. "Nós não vemos a hora de mudar, é um sonho realizado na nossa vida", finaliza. 

O evento contou ainda com a participação da deputado estadual Cristina Silvestri, secretários municipais e vereadores. 

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem