Rádio

28/11/2019

Casas da Cohapar terão maior foco em eficiência energética



A Cohapar, Companhia de Habitação do Paraná, participou do evento “Diálogos Sobre Eficiência Energética – Zonas Bioclimáticas” nesta quarta-feira. Realizado em Campinas, no estado de São Paulo, o encontro foi organizado pela Secretaria Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional. A palestra apresentada pela Cohapar teve como tema os desafios de aliar a eficiência energética e a habitação popular. Nas licitações da Companhia, são estabelecidas diretrizes mínimas de eficiência energética a serem seguidas na execução das obras, seguindo a ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas. Também estão em processo de adoção na Cohapar etapas adicionais de elaboração de projetos construtivos. Elas incluem simulações de desempenho lumínico, para máximo aproveitamento da iluminação natural dentro dos imóveis, e de desempenho térmico, para garantir o conforto térmico dos moradores tanto no verão quanto no inverno. Os cálculos de impacto destes fatores serão feitos em compatibilidade com a metodologia BIM, uma sigla em inglês que significa Modelagem da Informação da Construção. De acordo com a engenheira e assessora de projetos da Cohapar, Jocely Loyola, que fez a palestra a convite da Secretaria Nacional de Habitação, o atendimento a essas normas é fundamental para garantir a continuidade do repasse de recursos federais em habitação popular para o Paraná.// SONORA JOCELY LOYOLA.// Durante a apresentação, gestores públicos, especialistas e empresários conheceram as medidas tomadas pela Cohapar para garantir o desenvolvimento socioeconômico ambientalmente sustentável do Paraná. Entre as ações que já fazem parte das práticas da Companhia, estão a instalação de placas solares para geração de energia elétrica em projetos específicos de casas populares. Em conjuntos habitacionais construídos em parceria com o Governo Federal na menor faixa de renda do programa Minha Casa Minha Vida, também há a instalação obrigatória de sistemas de aquecimento de água para redução das contas de luz dos proprietários. Condomínios do programa Viver Mais Paraná, voltados ao atendimento de idosos, preveem também sistemas de captação de água da chuva, além de instalação de poços artesianos sempre em que há disponibilidade. A presença dos itens visa reduzir o consumo de água do sistema tradicional de abastecimento e, com isso, diminuir o custo do condomínio. O evento foi realizado em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional, uma empresa vinculada ao governo da Alemanha especializada no desenvolvimento sustentável em escala mundial. O foco foi para a chamada Zona Bioclimática 3, que representa apenas 6,5% do território brasileiro, mas com cidades que possuem um alto índice demográfico. Das 330 cidades do país classificadas nesta condição, seis estão no Paraná e estiveram representadas no evento: Campo Mourão, Foz do Iguaçu, Guaíra, Jacarezinho, Londrina e Paranaguá.



Repórter: Wyllian Soppa

Baixar áudio