Notícias Cohapar

10/08/2017

Famílias de Kaloré assinam contratos da casa própria

Representantes da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e da Caixa Econômica Federal assinaram nesta quinta-feira (10) os contratos para a construção de 65 casas populares com famílias do município, na região do Vale do Ivaí. A expectativa é de que, na próxima semana, as 12 famílias restantes também assinem a documentação, o que permitirá o início das obras das 77 moradias.

O projeto, orçado em R$ 5,6 milhões foi viabilizado graças ao esforço conjunto entre o Governo do Paraná e o Governo Federal. Os recursos serão financiados pela CAIXA através do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

As obras serão executadas pela construtora Exact, contratada pela companhia via processo licitatório por critério de menor preço. As casas possuirão de 38m² a 50m², com unidades adaptadas de 49m² para pessoas com deficiência.

As famílias selecionadas contarão com subsídios do programa Minha Casa Minha Vida e podem usar o saldo do FGTS para abater os custos de financiamento. O valor das prestações também será reduzido devido a parceiras com a Copel e Sanepar, que ofertarão materiais para a instalação da rede de energia elétrica e abastecimento de água e esgoto sem custo aos futuros moradores.

Segundo o coordenador da Cohapar em Apucarana, André Marçal, que acompanhou o evento, a ação aconteceu graças ao foco com que a atual gestão estadual encara o setor de habitação popular. “O governador Beto Richa e o presidente da companhia, Abelardo Lupion, determinaram que a Cohapar dê atenção máxima às necessidades de moradia da população em todo o Paraná”, defende.

Cohapar intervém para aumentar descontos e acelerar contratação
Preocupada em reduzir ainda mais o preço dos imóveis aos participantes, a equipe da Cohapar pleiteou através da CAIXA o cumprimento de uma portaria do Ministério das Cidades, o que permitiu o aumento do subsídio máximo de R$ 10 mil para R$ 17 mil por família.

Para dar mais rapidez ao processo de contratação, que sofreu atrasos devido a pendências documentais relacionadas ao cartório e à CAIXA, a empresa também realizou um mutirão para resolver pendências relacionadas aos contratos. Com isso, a previsão é de que o empreendimento seja entregue no primeiro semestre de 2018.

Áudio:

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.