Notícias Cohapar Famílias de União da Vitória conhecem futuras moradias 11/08/2017

A Prefeitura de União da Vitoria está executando os últimos serviços de infraestrutura, possibilitando o término e a entrega de 50 novas moradias construídas pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) na cidade. As casas, que devem ser entregues após a conclusão das obras da administração municipal, são destinadas a famílias ribeirinhas que serão relocadas de um local entre o Rio Iguaçu e a autovia João Reolon.

Nesta quinta-feira (10), a presidente da associação de moradores, Isabel Saraiva Leão, e o marido, João Leão, visitaram as casas do Residencial Ribeirinha II. O coordenador do escritório regional de União da Vitória da companhia, Júlio Adilson Pires, conduziu a visita para apresentar todos os detalhes técnicos do empreendimento, acompanhado da analista social Karen Teixeira.

Pires destacou que as moradias são designadas ao atendimento de famílias que moram atualmente em áreas de risco. “Este projeto está sendo executado pela preocupação do governador Beto Richa e do presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, em dar condições dignas de moradia às famílias de União da Vitória”, afirma Pires.

A construção do empreendimento recebeu investimentos de R$ 2 milhões oriundos do tesouro estadual e foram executadas pela construtora Piacentini através de processo licitatório. Por tratar-se de um público em condições de vulnerabilidade social, os imóveis serão totalmente subsidiados pelo Governo do Paraná com contrapartidas da administração municipal.

Investimentos – Desde 2011, a parceria de trabalho do Governo do Estado com a prefeitura e o Governo Federal resultou na entrega de 624 casas populares na cidade, além de 28 novas moradias na área rural, destinadas a agricultores familiares do município. As ações somam R$ 37,4 milhões em investimentos dos três níveis de governo.

Apenas para famílias que residiam às margens do rio, já foram entregues outras 50 casas construídas com recursos próprios do tesouro estadual, também a custo zero para os beneficiados.
Recomendar esta notícia via e-mail: