Notícias

17/05/2019

Cohapar expõe projeto de regularização fundiária a vereadores de Campo Largo

Em audiência na Câmara Municipal nesta semana, representantes da empresa explicaram detalhes do funcionamento do programa Morar Legal Paraná, que prevê a regularização de 2.200 lotes na cidade. Objetivo é que, após o trabalho ser concluído, até 2020, as regiões beneficiadas possam receber a instalação de novas redes de energia elétrica, água e esgoto.

campo largoRepresentantes da Cohapar apresentaram detalhes do programa Morar Legal Paraná a vereadores de Campo Largo nesta semana. Em audiência pública, os técnicos da companhia expuseram a situação do projeto para o município, que consiste na regularização de 2.200 lotes e a entrega de títulos de propriedade às famílias.

A audiência foi convocada pelo vereador Clairton Tummler, com o intuito de avaliar soluções para a instalação de sistemas de energia elétrica, água e esgoto em regiões em que os imóveis não possuem registro na cidade. O presidente da Companhia Campolarguense de Energia (Cocel), José Chemin, participou do encontro e explicou as dificuldades de expansão das redes em áreas de ocupação irregular.

MORAR LEGAL PARANÁ – Entre as localidades que estão passando pelo processo de regularização fundiária e poderão receber novas obras de infraestrutura, estão os Jardins Guarani II, Guaricá, Santa Nely, Dom Pedro II e Guarani, os Loteamentos Lamback, Santa Rita e São Vicente, a Vila Torres I e II, a Vila Mariano, Cercadinho e Santo Onofre.  

Segundo o diretor de Regularização Fundiária da Cohapar, Luís Corti, além de possibilitar a ligação correta de luz, água e esgoto nas residências, a titulação dos lotes promove a cidadania dos moradores. “O reconhecimento de propriedade permite que as famílias obtenham financiamentos, reformem ou ampliem seus imóveis com a segurança jurídica necessária”, declara. “Ao titular estes imóveis, a Cohapar está cumprindo com o direito social à moradia, estabelecido no artigo 6.º da Constituição Federal”, conclui Corti.

O PROJETO – Com investimentos de aproximadamente R$ 2 milhões, os serviços estão sendo executados pela Formata, uma empresa especializada do ramo contratada via licitação, com supervisão da Cohapar. A previsão é de que o trabalho seja concluído até o fim do primeiro semestre de 2020. Os investimentos foram viabilizados pelo Governo do Estado com recursos oriundos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza.

Participaram da audiência os vereadores Marcio Beraldo, Elisabete Damaceno, Antônio Ferreira, Airton Silva, Darci Andreassa e Bento Vidal; a Diretora Jurídica da Formata, Thanyelle Galmacci, o procurador de Campo Largo, José Assad.

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem