Clipping

06/11/2019

I 44 NEWS - Na Vila Rural Flor do Campo, população e casas quase dobraram em 22 anos



Em 22 anos, as moradias e a população da Vila Rural Flor do Campo, às margens da PR - 558, em Campo Mourão , quase dobrou. Nas cerca de 90 casas vivem hoje 300 pessoas. Tem gente que não deixa o lugar"por nada", a exemplo de Olila Antunes dos Santos, 64 anos, que diz ser uma "benção" o local. Por outro lado, o propósito da criação das vilas rurais no governo Jaime Lerner (1995 - 2002), de produção agrícola e venda de excedentes, nunca caminhou a passos largos.

No terreno, Olila fez uma pequena vila familiar. Foram construídas três casas de madeira. Uma está desocupada e em duas residem filhas. Outros dois filhos moram com ela na casa entregue no final da década de 1990 pela COHAPAR (Companhia de Habitação do Paraná), que foi ampliada e tem três quartos. "Não vendo aqui por dinheiro nemhum. É o meu lugar", disse.

Olila diz que foi criada na roça e o tempo em que morou na cidade, em Campo Mourão, não se acostumou. Ela cortava cana-de-açucar e o marido trabalhava no sorte de pinus em Santa Catarina. "Era acostumada no sítio, plantando, mudei para a cidade e era muito difícil. Depois que vim prá cá foi uma benção.

De acordo com o tesoureiro da Associação dos Moradores da Vila Rural Flor do Campo, Hélcio Martins Ribeiro, restaram oito dos 49 moradores que foram sorteados pela Cohapar. O número de casas aumentou por conta da divisão e venda de lotes e famílias que aumentaram e construíram mais residências no terreno.

Segundo a COHAPAR, não há previsão de novos projetos para a construção de vilas rurais nos moldes do programa criado no governo de Lerner, iniciado em 1995 com propósito de garantir moradia a trabalhadores rurais volantes, produção agrícola e venda de excedentes.

Leia noticia completa no site

 

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem